Destino e Astrologia Moderna

Posted on 4 de dezembro de 2006

8


Aqui uma discussao muito leve sobre o assunto. Vamos discutir apenas algumas possibilidades.

Em astrologia existem os fanáticos do livre arbítrio, que poderíamos chamar de FLA, mas é mais fácil denominá-los como “new age”, pois essa em geral é sua ideologia de vida. Essa ideologia é mais frequente nos astrologos modernos, principalmente nas linhas “espirituais”. A segunda corrente é a Determinista. Muitas pessoas criticam a astrologia medieval porque acreditam que ela é determinista, coisa que nao concordo, porque sendo muito religiosos, o primeiro principio desses astrológos é que a astrologia nao podia ser superior a vontade divina, e que creio entao que Deus tinha o direito de “mudar de idéia”, ou pelo menos de nao seguir um mapa natal.

No entanto, os deterministas estao firmes e fortes em todo lugar, incluindo entre os astrólogos modernos mais new age !! Antes que diga que estou caindo em contradiçao, deve pensar que a astrologia moderna perdeu em muito suas raízes filosóficas mais profundas, e portanto se adaptou as raízes modernas, pós-iluministas, materialistas, positivistas, etc.

Vamos ver como funciona. Muitas pessoas ficam horrorizadas com a idéia do destino (com exceçao dos protestantes que acreditam totalmente em pré-destinaçao), e por isso preferem técnicas mais “flexiveis” como o Tarot. Inclusive já vi muita gente descartas que a astrologia funcione, a priori, somente porque nao acreditam em previsao: “se a astrologia funcionasse, nossas vidas estariam predeterminadas, e como elas nao estao predeterminadas, a astrologia nao funciona” (!)

No entanto vivemos num mundo que, desde o século 18, acredita 100% em predestinaçao! Ao mesmo tempo que a astrologia decaía, outros corpos de conhecimento se formavam com direito de prever o futuro com exatidao. Vimos por exemplo Lombroso determinar o caráter pela estrutura óssea do crânio. Os eugenistas e os darwinistas sociais fazendo estudos para classificar cada raça por capacidade intelectual, e “habilidades naturais” (uns planejam, outros trabalham, outros sao naturalmente preguiçosos, etc). Os behavioristas criaram um ser humano baseado no rato, determinado pela quantidade de queijo e choques elétricos. Os economistas criaram um ser humano baseado no lobo, amoral (que eles chamam de “racional”) e imoral (que eles chamam de “utilitarista”).

Vemos assim que toda a ciencia pós-século 18 foi criada em torno da pretensao do determinismo humano. E é nessa visao de mundo que os astrólogos atuais têm se baseado. Uma visao que deseja explicar, no mínimo detalhe, o comportamento humano em modelos que desprezam esse tal de Livre Arbitrio… Se nosso amigo medieval dizia coisas como “Você se casará com uma mulher de pouca honra”, hoje nosso colega contemporâneo dirá “Vejo que você teve uma experiencia muito ruim com sua mae, que está prejudicando seus relacionamentos futuros”. As duas proposiçoes sao razoavelmente deterministas: a diferença é que a segunda concentra-se num marco teórico pseudo-psicológico.

Frawley, destilando veneno, diz que o único motivo que os astrólogos modernos nao acreditam em destino, é porque eles nao tem técnica suficiente para prever nada. Isso é verdade até certo ponto. Já vi “astrológos” de quinta categoria falando mal de previsao, como se essa fosse uma atividade abaixo deles: seu papel é orientaçao espiritual. Aqui temos de comentar o grande grau de pretensao de superioridade que tem a maioria das pessoas que se envolve com astrologia. Fora isso, se você nao quer fazer previsoes, estude grafologia, oras !

A previsao, ou melhor ainda, o erro, é a chave para o bom astrológo, nos mantém humildes, e corrige nossas técnicas: “ninguém nunca aprendeu nada por acertar as respostas, e sim por errá-las” é um bom lema pra se ter.

O tempo todo vemos previsoes deterministas entre seus mais ferrenhos detratores. Gente que pode tecer louvores ao Livre Arbitrio, mas que podem fazer delineaçoes absolutamente horripilantes! As mesmas pessoas que num momento gritam sobre o horror de se querer determinar inteligencia ou sucesso num mapa, no outro estao pintando todo um quadro de depravaçao sexual por apenas uma pobre venus em escorpiao…

Moral da história: muitas vezes o maior partidário da realeza é o inimigo do rei !

Anúncios