Eletivas de Férias ?

Posted on 18 de janeiro de 2007

7


viajeros.jpgBack in business

Depois de um período curto de viagens, volto à ativa. Queria recomeçar com uma velha reflexao: “em casa de ferreiro, espeto de pau”.

Fui viajar por 15 dias e me pergunte se eu levantei uma carta horária ou se fiz uma eletiva para sair de férias ? Óbvio que nao, e a preguiça ?

Mas tem uma razao… quando a gente começa a estudar horária, faz carta pra tudo, depois pelo próprio respeito à técnica, e também pelo tempo que toma, a gente só utiliza para questoes realmente muito importantes. Mas qual a minha desculpa para ver a eletiva e os trânsitos natais ? 🙂

No geral a viagem foi boa (peguei uma cor). Mas entre as agruras de viajar em grupo de 4 amigos (a difícil arte da convivência), podemos citar, entre outras…

  • Começar a viagem um dia mais tarde porque nao tinha passagem
  • Ficar na casa de uma “amiga” de uma das pessoas do grupo e  praticamente sair correndo porque a mulher era tao neurótica que tava começando a surtar…
  • Cair num ônibus com cadeiras quebradas e empapadas de suor, membros do grupo dando piti e esperando mais 2 horas por outro ônibus.
  • Depois de 16 horas no ônibus um dos passageiros, evangélico, começou a fazer pregária… um dos membros do grupo, em retaliaçao, começou a rezar o terço…
  • Levar 2 horas e meia indo e duas horas voltando para uma “praia ecológica” na qual ficamos meia hora cercados de bêbados fazendo farofada e deixando lixo na praia…
  • A ala feminina do grupo fazendo terrorismo menstruatório…

Uma das coisas que achei interessante é que as vezes a gente nao tem tanta “margem de manobra” para fazer uma boa eletiva… o horário combinado era com o ASC na minha casa 10, conjunto a um benéfico. Mas como deixaram pra comprar na última hora, a viagem ficou pro dia seguinte, com um ascendente em peixes, a minha casa 12. Júpiter estava dignificado mas cadente, e marte bem angular, quase no MC.

E a carta natal ? Bem, eu tenho marte na casa 3, a casa das viagens curtas, o que nao seria tao grande problema, mas já estive duas vezes em carro que sofreu pequenos acidentes em viagens curtas, entao me parece que esse marte nao é muito amigável ao veraneio… Obviamente o problema principal foi que desenvolvi um preconceito contra os trânsitos, pois qualquer um metido a astrólogo utiliza a torto e a direito. Mas por mais “overvalued” que seja a ferramenta, ela tem seu valor para prever os eventos cotidianos.

Por exemplo, nao acredito que a viagem em si fosse previsível. O fator decisivo para sair de viagem foi o calendário alheio,  as famosas férias de janeiro, ou seja, um fator extra astrológico. Mas, sabendo que haveria uma viagem, ou entao decidindo o melhor momento para fazê-la, esse trânsito de marte sobre o marte natal na casa das viagens nao seria muito promissor.

A conclusao é que a eletiva nao é feita de maneira separada de trânsitos, profecçoes, progressoes, e outras técnicas… esse é um tema que talvez possa ser trabalhado com mais profundidade depois, mas o essencial é que a arte da eletiva nao se restringe a “coloque a lua crescente, o ascendente num signo fixo,  etc”, mas também de escolher um bom momento em relaçao ao que é prometido na carta natal.

Por exemplo, de que adianta fazer uma ótima eletiva num momento excepcional, que concorda perfeitamente com a carta natal, se o retorno solar promete um ano desastroso para o assunto que você está tentando melhorar ? Se é algo mais vulgar, como uma viagem, óbvio que nao há grandes problemas, mas se uma pessoa por exemplo vai investir suas economias num negócio, é de se esperar que se escolha um período de um ou dois anos bons para sua área profissional, para auxiliar o desenvolvimento do negócio.

Só alguns pensamentos pós férias

Anúncios