Eclipse de 18 de Março

Posted on 20 de março de 2007

16


eclipse.jpg

Um dia atrasado, mas valendo 😉

Após um eclipse lunar pouco tempo atrás, agora temos o primeiro eclipse solar do ano, anteontem, no dia 18 de Março, e já no dia 19 nos EUA. A verdade é que não existe um acordo muito grande sobre como interpretar eclipses, mas peguei algumas coisas que podem ser úteis para quem tem medo interesse sobre o assunto.

O Eclipse ocorreu, para a localidade do Rio de Janeiro, às 11 e meia da noite do dia 18, com Ascendente de 3 Capricórnio e Meio do Céu de 22 Virgem, como no mapa da figura abaixo (clique para aumentar).

eclipse-18-marco.jpg

O que são os eclipses

A mecânica astronômica dos eclipses é fácil de ser entendida. Do ponto de vista astrológico, o mais importante é notar que o obscurecimento do Sol ou da Lua vêm da conjunção desses luminares com o Nodo Norte ou o Nodo Sul, conhecidos respectivamente como cabeça e cauda do Dragão. Em várias mitologias do mundo os eclipses eram causados por um dragão, ou outro monstro, que por um tempo engolia o Sol ou a Lua, por isso o nome “Dragão”.

O nodo norte e o Sul estão sempre opostos entre si numa carta, e caminham em sentido retrógrado. Todos os planetas caminham em sentido direto (de áries vão pra touro, depois pra Gêmeos, etc), e as vezes entram em retrogradação (caminham no sentido Gêmeos-Touro-Áries-Peixes, etc). Os nodos estão sempre retrógrados e levam cerca de 19 anos pra dar uma volta no zodíaco. Nesse momento, o nodo norte está em Peixes, onde entrou em 20 de Junho de 2006, e ficará nesse signo até Janeiro de 2008.

Portanto, todos os eclipses nesse período serão nos signos de Peixes (eclipses solares) ou de Virgem (eclipses lunares). Esse ano já tivemos 2, então faltam mais dois, em 28 de Agosto e 11 de Setembro.

Qual o efeito do eclipse ?

Antes de discutir os efeitos dos eclipses, é necessário entender que eles fazem parte do que se chama geralmente como astrologia mundana (ou “munda”, “mundial”, etc). É a astrologia dos grandes acontecimentos políticos, sociais, geográficos, etc. Muita gente usa os eclipses para previsões pessoais, mas esse tipo de instrumento deve ser feito com muito cuidado, pois a natureza do eclipse afeta a todos (terremotos, escândalos, acidentes, etc), e não a nossas pequenas preocupações individuais (carreira, filhos, etc).

A natureza dos eclipses sempre foi considerada maléfica. A maioria dos astrólogos modernos considera isso “exagero de povos antigos”, mas eu considero essa opinião como “tipico pensamento new age dos astrólogos modernos”. Os eclipses têm uma natureza muito complicada e seus efeitos sobre a Terra estão longe de ser benéficos.

Se acredita que um eclipse tem seus efeitos aumentados quando é visível em um país ou quando esse país é representado pelo signo onde ocorreu o eclipse.

Um exemplo disso são os terremotos… quando a sombra do eclipse cai em país geologicamente instável, como Irã ou Japão, em uma semana a terra costuma tremer, seja terremoto forte ou fraco. Um dos terremotos mais destruidores da história do Irã foi uns 3 dias depois de um eclipse solar total.

Outra possibilidade de “localização” é quando o eclipse (ou seu dispositor) é angular no mapa, ou rege o ascendente da localidade. Muita gente usa Astrocartografia, mas os resultados ainda não me convencem enquanto técnica útil.

E no caso do Brasil ?

No caso do Brasil, que é um país novo, não estamos listados nos catálogos dos antigos de países, povos e regiões. Tampouco temos o mínimo consenso para um “mapa do Brasil” (se é que isso existe). Mas a evidência parece mostrar que o Brasil foi muito afetado pelo último eclipse em Virgem (com o início do “apagão aéreo”).

Além do mais o eclipse será angular no mapa do Brasil (veja que o eclipse acontece na casa 4, que é angular, e a cúspide da casa 4 está muito perto do grau do eclipse).

Usando um método que já usei antes, com resultados médios, o do trânsito dos planetas lentos com o grau do eclipse, o seu ASC e MC, vemos datas de possíveis ativações do eclipse:

  • Por volta de 13 de Maio (provavelmente até uma semana antes, pq marte é apressado) temos o trânsito de Marte pelo grau do eclipse
  • 19 de Maio, Marte em quadratura ao ascendente do eclipse (mas marte estará digno em aries, então é dificil saber se veremos efeitos).
  • 19 de Junho, o Sol faz quadratura ao grau do eclipse.
  • 19-21 de Setembro, o Sol faz oposição ao grau do eclipse
  • 24 de Setembro, Marte faz quadratura com o grau do eclipse.

O que pode acontecer ?

Dei uma olhada sobre o que outros astrólogos escreveram, e como sempre, a maior parte só falou poesia como “a necessidade de peixes por transcendência”. Richard Nolle, que é um astrólogo moderno que lida muito com astrometeologia e terremotos, colocou o período até 26 de março como sendo o mais propicio do ano para enchentes, tempestades e quetais.

Segundo Lilly, um eclipse nos últimos 10 graus de peixes significa:”In the third Decanate, it presages sedition, cruelty, bitternesse of spirits, and the inhumanity of souldiers, as also much Controversie amongst Divines, and Lawyers.”

[sedição, crueldade, amargura de espiritos, desumanidade de soldados, e muita controvérsia entre Divines (?) e advogados]

Segundo Masha´lah, esse eclipse não deve ser tão destrutivo quanto o último: os dispositores desse eclipse (júpiter e vênus) são dois benéficos, os dois em seus próprios signos e aspectando a casa do eclipse.

E na minha carta natal ? Devo esperar algum efeito ?

A maioria das pessoas que observa os eclipses em cartas natais, não os observa com regularidade, então esquece que temos 4 eclipses por ano ! Como eu disse no começo, os eclipses são de natureza global, e não particular.

Bernadette Brady é uma astróloga moderna que criou uma maneira peculiar de analisar os eclipses, vendo o primeiro eclipse da série SAROS. Para essa série, ela o delineia como “tendo um forte tema corporal, isso pode ser algo como entrar em uma classe de ioga a acidentes físicos, dependendo da carta e como é ativada”.

Assim, ela recomenda ver principalmente os aspectos do grau do eclipse, e em que casas se encontra, e que temas ativa.

Eu pessoalmente, dou mais atenção não aos eclipses, mas aos trânsitos do nodo sul e norte, que causam os eclipses. Num ano que esses nodos estiverem transitando o Ascendente e o MC (incluindo da Revolução Solar), o Sol ou a Lua, dai aumentamos a probabilidade de um ano importante.

Artigos Relacionados

Anúncios