O regente do ano

Posted on 21 de março de 2007

12


ano-novo-astrologico.JPG

Hoje é  o ano novo astrológico ! Comemore !

 Hoje, 21 de Março, o Sol está entrando no signo de Áries, iniciando assim o ano novo astrológico. Marca assim o primeiro dia da primavera do hemisfério norte e o primeiro dia do outono no  hemisfério sul.

Do ponto de vista mais astronômico, a entrada do Sol em Áries marca portanto o equinócio, quando os dias e noites tem a mesma duração, e o sol está “cruzando” o equador. Isso significa que, ao meio dia, alguém exatamente no equador verá o Sol a pico, alguém em São Paulo verá o Sol para o norte, e alguém em Nova Iorque verá o Sol ao Sul de suas respectivas posições geográficas.

E o ano novo ? 

Vários povos tem suas próprias datas para início do ano novo. Os iranianos por exemplo usam o ano novo astrológico, mas tem datas pra todos os gostos, de janeiro a dezembro. Aparentemente quem colocou o inicio do ano no dia primeiro de Janeiro foram os romanos mas essa prática é obviamente arbitrária, e não tem mais valor do que qualquer outra data, do ponto de vista astrológico, as únicas datas que tem valor são os equinócios e os solstícios.

É como no em 1999, quando todo mundo estava comemorando a “virada do milênio”. O fato de um monte de gente estar fazendo festa não significa que algo mudou. O mesmo ocorre aqui, o ano só se “renova” em março.

Astrologia Mundana

A carta da entrada do Sol no primeiro grau de áries não é assunto apenas dos arianos. Essa carta é usada pela astrologia mundana, ou seja, aquela astrologia que estuda os fatos políticos, sociais, o clima, etc.

Assim, não faz sentido perguntar “como o equinócio me afeta” e sim “o que está reservado para cada país e região durante esse ano”. As crises políticas, econômicas, etc, nos afetam a todos, é verdade, mas geralmente, e não particularmente.

Abaixo a carta do ingresso em áries para o Rio de Janeiro (clique nela para aumentar).

ingresso-solar-em-aries-2007.jpg

 

E os outros ingressos ? 

 Durante o ano, existem dois solstícios e dois equinócios. Embora a tradição dê preferência ao equinócio de aríes, os outros três também tem importância relativa. Os antigos sugeriam que se olhasse o ascendente do ingresso em aries para uma determinada região:

  • Se o ascendente fosse em signo fixo, se usaria apenas o ingresso de áries para o ano todo.
  • Se fosse em signo mutável, se usaria apenas duas cartas, o ingresso em áries e em Libra, cada uma governando metade do ano.
  • E, se fosse cardinal, se usariam todas as quatro cartas para descrever o ano.

No caso do Brasil, o ascendente do ingresso em áries cai no signo de Escorpião, que é fixo. Portanto essa carta tem validez para todo o ano.

Entretanto, mesmo com um signo fixo no ascendente, em casos específicos, como o do clima, vários astrólogos tradicionais olham os outros ingressos para maior detalhamento.

A carta do ingresso é específica para uma região ?

Mais ou menos. Como essa carta é tirada no mesmo momento para todo o mundo, a única diferença entre os diversos países é  o ascendente e a posição dos planetas nas casas, e nunca a posição por signo. Isso fez com que a técnica fosse muito criticada por astrólogos modernos europeus, pois na Europa praticamente todos os países tem quase a mesma carta para o ingresso em áries.

Apesar de existir pequenas diferenças nas cartas, por exemplo estrelas fixas no ascendente, ou então a posição das partes arábicas, o grosso da diferença se encontra na confrontação dessas cartas com as “cartas de origem” dos países. Assim, o ingresso funcionaria um pouco como um “retorno solar” da carta de origem.

Cartas de Origem de Países, Dinastias e Religiões

A prática dos modernos atuais, de discutir se o Brasil nasceu as 7 e 13 ou 7 e 25, ou seja lá quando Don pedro deu seu gritinho, era considerada ridicula pelos antigos, que diziam algo como “é como perguntar que dia nasceu um rio”.

O método correto era usar o ingresso solar do início de uma religião, dinastia ou império. No caso dos EUA, os astrólogos modernos usam a data do 4 de julho de 1776, e ficam brigando se a carta correta é uma com ascendente em gêmeos (que resultaria numa assinatura da declaração da independência as duas da manhã !). Já os tradicionais preferem a data de 1789, que foi o ano que o primeiro presidente americano realmente tomou posse, “fundando a dinastia”.

Se existe uma carta de fundação para o Brasil, eu ainda estou investigando então prefiro não comentar.

O regente do ano

Quem já leu qualquer site esotérico ou “astrólogo de butique”  falando na televisão, já ouviu falar do conceito de “regente do ano”. Pegue o número, faça a redução e veja a que planeta corresponde.

Bem, isso se chama numerologia, e não tem absolutamente NADA a ver com astrologia, quando uma “autoridade” falar isso, simplesmente dê um suspiro e ignore.

 Além do mais, não apenas o início do ano é arbitrário, sua numeração também. Enquanto os cristãos estão no ano 2007, os hindus estão no ano 5107, os muculmanos estão no ano  1428, e os judeus estão em 5766. Será que todos esses povos estão sendo governados por “outros planetas”  que o “nosso” ?

Mesmo que isso faça sentido do ponto de vista da numerologia, não o faz da astrologia, que olha cartas, não faz reduções numéricas. Por mais que as pessoas ofereçam justificativas em “teorias” que não se sabe de onde vieram, essas “teorias” sempre implicam que o planeta é determinado a partir do ano 1, o que, novamente, implica que o inicio do cristianismo teria alguma relevância astrológica e não tem.

(Mesmo porque, como todos sabem hoje em dia, Cristo não teria nascido no Ano 1 da Era Cristã)

Então como se calcula o regente do ano ?

Pra tratar disso em detalhe só numa próxima vez.  Mas basta saber que o regente do ano é determinado através das cartas de cada localidade. Assim, o regente do ano do Japão não é necessariamente o mesmo dos EUA e do Brasil.

Isso faz muito mais sentido astrologicamente do que dizer que “o regente é saturno”, porque isso realmente não diz nada pra ninguém. Mas, se eu digo que o regente para o Brasil é saturno, eu vejo na carta do ingresso que casas ele está regendo, seu estado cósmico, etc, e isso me dá informação sobre a “qualidade do ano”, especificamente para o Brasil.

Ramesey privilegiava os planetas em ângulos e o regente do ascendente. Então, sem rever as regras, eu diria numa primeira olhada que o regente desse ano vai ser marte, na casa 4, em oposição a Saturno na casa 10.

Combinando com as indicações do último eclipse, eu diria que o Brasil vai passsar por um momento em que a “terra” vai  entrar novamente na pauta das discussões. Mas isso a gente fala outro dia.

Artigos Relacionados

 

Anúncios