Mais sobre a profecção

Posted on 30 de março de 2007

7


vidente-de-oscar-dominguez-1944.jpg

A vidente, de Oscar Dominguez, 1944

A profecção é um dos métodos mais antigos da astrologia para se prever os acontecimentos do ano. Basicamente, o signo do ascendente, ou de outro ponto, é avançado ao ritmo de 1 signo por ano. Assim, se você nasceu com Áries no seu ascendente, no seu segundo ano de vida você terá um ascendente profectado de touro, etc.

Primeiro discutimos como calcular a profecção. Agora é importante aprender mais sobre esse conceito, para quem quiser aplicá-lo na prática (o Rodolfo tem escrito muito sobre profecção, e pode ser útil pra quem quiser ver uma intepretação usando o conceito).

História do conceito

O trabalho mais velho que temos conhecimento, por enquanto, é o do grego Vettius Valens, que mesmo assim fala como se fosse uma técnica muito antiga, mesmo em seu tempo.

Os gregos tinham uma técnica astrológica que era muito baseada em “senhores do tempo”, ou seja, cada período da vida era regido por um planeta da sua carta, e esse senhor dava a esse período seus assuntos (por exemplo, dinheiro) e suas características (boa ou má).

Por exemplo, uma das técnicas de “senhores do tempo” eram as “idades do homem“: o homem começa sua vida como bebê (lua), criança (mercúrio), adolescente (vênus), etc. Outra dessas técnicas é a firdaria, que tem um regente e um sub-regente para cada período de sua vida.

A vantagem que Valens via da técnica da profecção, combinada com a Revolução Solar, era justamente a de ter indicações para um período menor e mais concreto na vida: apenas um ano.

Profecção e a Revolução Solar

Como somente há 12 signos no zodíaco, isso significa que a vida vai ter acontecimentos repetidos a cada 12 anos ? Não exatamente, por diversos motivos:

  1. A vida não é perfeitamente cíclica: um efeito que aos 30 anos gera um casamento, aos 18 cria um namorico e aos 6 o primeiro amiguinho. O envelhecimento traz novas circunstâncias. Um ano que é ruim para as finanças não traz conseqüências quando temos 2 anos de idade e não temos finanças.
  2. As direções primárias, progressões, os “senhores do tempo”, etc, influenciam os grandes períodos da vida. Dois anos podem ser muito parecidos, mas um tem uma direção primária tétrica e o outro apenas coisas felizes.
  3. O fator primordial é a Revolução Solar (ou Retorno Solar, ou ainda RS). Todas as indicações da carta natal devem ser comparadas com a carta do RS.

Assim Profecções e Revoluções solar devem ser sempre vistas em conjunto, e não como peças em separado, como é o costume na nossa época de “vamos fazer de qualquer jeito e chamar isso de intuição”.

A profecção é por signos ou por casas ?

Como escrevemos no artigo anterior, a profecção se faz avançando por um signo o grau do ascendente. Entretanto, alguns leitores podem encontrar outros escritos dizendo que se avança “uma casa por ano”. Qual está correto ?

Os gregos obviamente avançavam um signo por ano, já que em sua época signo = casa. Mas já na época dos árabes, se deixava muito clara que o ascendente avançava 30 graus por ano, e não uma casa. A origem dessa história de “1 casa por ano” me é confusa, já que todos os textos que encontrei são bem claros a respeito, ou é um mal entendido ou provavelmente é mais fácil vender algo se dá aquela aura de “antigo”.

Mesmo porque, com tantos sistemas de casas, surgiria a pergunta, “e qual é o certo ?” Os gregos não usavam, os árabes usavam alchabitius, e depois da renascença começou a chuva de sistemas novos… Não vejo nenhuma explicação válida pra dizer porque um sistema inventado pelos gregos “só dá certo com placidus”…

Anos bons e maus

O signo profectado representa o ano, e suas indicações boas e más. Segundo Paulus Alexandrinus, primeiro se deve observar se o regente do signo profectado está em aversão ao signo, o que é uma indicação bem negativa.

Em seguida procure por aspectos, por signo inteiro, com o signo profectado. Por exemplo, se o signo profectado é Leão, Júpiter em áries estará em trígono, não importando em que grau de áries Júpiter esteja. Vários benéficos aspectando o signo trazem coisas boas e vários maléficos… bem você sabe.

Todas essas indicações devem ser repetidas também no retorno Solar ! Por exemplo, o ascendente profectado caiu em Touro, o regente é vênus. Na carta natal vênus está em áries, portanto está em aversão, e além do mais está em seu exílio ! Mas se no retorno Solar a vênus está em Peixes, sua exaltação, as notas pesadas que iamos prever são praticamente canceladas.

O regente do ano

O senhor da profecção é também chamado de regente do ano. Infelizmente nem sempre o regente do ano é o senhor da profecção. Há uma escala de preferência:

  1. Se há um planeta no signo profectado, na carta natal, então ele é o senhor do ano
  2. Se há um planeta que no Retorno Solar esteja passando pelo signo da profecção, então esse é o senhor do ano
  3. Se não houver um planeta que cumpra as condições 1 e 2, então o senhor do ano é o regente normal do signo

Por exemplo, tenho o ascendente em áries. No meu 30 ano, terei um ano 7, e o signo profectado será libra. Se eu tivesse Saturno em Libra, ele seria o senhor do ano. Mas não tenho. Daí eu vejo no meu retorno Solar.

Se, no Retorno Solar, por exemplo Marte estiver transitando o signo de Libra, Marte seria o Senhor do ano. Mas, se não tivesse nenhum planeta em Libra, o senhor do ano seria vênus.

Nota técnica: Na condição 1, quando o planeta natal não aspecta ao signo profectado, ele perde a condição de senhor do ano.

Desculpe se o artigo parece excessivamente técnico… mas a verdade é que não existe “receita de bolo” e é perigoso dar a iniciantes, que ainda não sabem delinear, a impressão de que existem sim receitinha.

Artigos Relacionados

Anúncios