Que pais é esse?

Posted on 9 de abril de 2007

2


independencia_rmoreaux.jpg

D. Pedro I dando gritos à beira do córrego…

Quando nasceu o Brasil ?

A parte da astrologia que faz previsões no nível “macro” relacionadas a países, populações, sua economia, política, e também desastres, terremotos e guerras, é a chamada astrologia mundana. A técnica mais antiga que os astrólogos conhecem é o Ingresso Solar, ou seja, o dia em que o Sol entra em Áries, por volta de 21 de Março.

Infelizmente, ninguém sabe usar (dizem que sabem, mas não sabem, porque é técnica tradicional, e portanto ninguém sabe, pois ainda estamos descobrindo os escritos – toda “otoridade” no assunto é picareta) e assim os astrólogos modernos resolveram ignorar a tradição e buscar suas próprias técnicas… o mapa do nascimento de um país. Mas será que isso funciona ?

Astrologia Moderna: Em casa de ferreiro… se martela todo tempo !

Os americanos tem um ditado, que supostamente é de Maslow: “se a única ferramente que você dispõe é um martelo, é provável que você enxergue todo problema como se fosse um prego”.

Ora, a astrologia moderna, que começou por volta do século 19 e 20, em seu ímpeto reformista, destruiu todas as outras ferramentas que tínhamos até que só sobrasse uma: o mapa natal ! Se tem dúvidas, olhe no índice do Blog e veja como a grande maioria dos temas NUNCA é tratada nem como rodapé em “livros de astrologia”: os termos, as faces, o séquito, direções primárias… tudo esquecido !

Como a única ferramenta que sobrou foi a carta natal, que os modernos usam apenas para analisar a personalidade, e não mais o destino, qual é a solução para podermos prever coisas para o Brasil, os EUA, etc ? Óbvio ! “Vamos procurar a data de nascimento do Brasil”.

O Exemplo Americano

Os Estados Unidos são um exemplo bem interessante de se analisar. Enquanto na Europa uma civilização sucede a outra pelos últimos 10 mil anos, não havia um grande país e dinastia na América: os índios americanos viviam em pequenas tribos independentes. Os seus Patriarcas se reuniram e escreveram um documento de independência. As 13 colônias se uniram por sua independência política da Inglaterra.

Esse caso político é  extraordinariamente simples, já que por exemplo, os EUA nunca sofreram golpes de estado e quebras na continuidade legal, como o Brasil ! Os EUA tem a mesma constituição de antes, nós estamos na vigésima oitava ! O único episódio de verdadeira crise foi durante a Guerra Civil, e mesmo assim não houve a quebra da ordem constitucional, apenas o seu “soluço”.

Já no Brasil vamos contar os golpes de estado: a proclamação da república, o Estado Novo, 1964, cada um deles estabelecendo uma nova ordem, uma nova constituição… qual seria o “correto” ?

Note que, mesmo os Estados Unidos tendo uma carta tão simples, sem ter que considerar golpes de estado e quetais, os astrólogos modernos se digladiam pra saber qual a “verdadeira carta de nascimento” do país, sendo que a carta mais usada utiliza a absurda hora de 2 da Manhã, numa época onde provavelmente se dormia às 7 da noite…

Os países realmente “nascem” ?

O ser humano é fedundado, passa por 9 meses de gestação, algumas horas de parto e alguns minutos de indecisão se já “nasceu ou não”. E um país ? Quanto tempo é necessário para um país ser “fecundado” ? Em que período acabou sua gestação e podemos já falar de um “processo de parto” ?

Será que um país “nasce” quando se assina uma declaração de independência ? Ou isso não é apenas um trabalho de semente, que tem que ser complementado com o parto da independência e batalhas, por exemplo ? Não seria de se esperar então que não existe o “minuto que o pais nasceu”, já que um país não nasce como uma criança, e o máximo que teríamos seria o ano que o país “nasceu” ?

Um astrólogo romano já dizia algo como “perguntar a que horas nasce um país é como perguntar a que horas nasce um rio”.

Quem é o País ? O país somos nós ? 

Falta também uma definição astrológica consistente de “país”. As definições legais são de pouca importância para a astrologia, são muito frouxas. Quando Getúlio instaura o Estado Novo, estamos falando de um rompimento da ordem total, exigindo uma nova carta, ou apenas estamos vendo um “soluço” da ordem, mas que ainda é regida pela antiga carta ? Necessitaríamos saber que é esse “país” que estamos analsiando…

Será o conjunto de pessoas ? Esse conjunto, inclusive os índios, já existia antes de qualquer proclamação. Será a ordem social ? Essa é mais ou menos a mesma, um país colonial e colonizado, com ricos muito ricos e muitos pobres.

Importa a que horas alguém gritou ?

O astrólogos modernos brasileiros, emulando seus companheiros dos States, também brigam por suas próprias “cartas de nascimento corretas”. Uns acham que foi tal hora, e outros a outra, em geral por puro chute, questão de gosto pelo ascendente, já que registro histórico pra saber a hora exata ninguém tem.

E todos se esquecem de uma pergunta fundamental ? Importa a que horas D. Pedro deu seus gritinhos ?

Para todo o nordeste, por exemplo, é muito mais importante a data de expulsão dos portugueses, período de luta e morte (um parto). Mas esse período é totalmente esquecido pelos livros de história, que com esse artifício querem colocar o eixo Rio-São Paulo, e pólo econômico e social,  como o real ator da história.

É parecido aos americanos tentando convencer que os Irmãos Wright realmente inventaram o avião, quando em realidade inventaram apenas o estilingue. Quem tem poder vai reescrevendo os fatos.

Que as pessoas não questionem o valor de uma data inútil como o 7 de Setembro, quando um príncipe decidiu que se rebelaria contra a Corte Portuguesa sob o risco de perder seu amado trono, é apenas natural, foram doutrinadas por anos de professores de história incompetentes. Mas que os astrólogos fiquem colocando essa como a “verdadeira” carta do Brasil, é apenas a falta de reflexão que é tão característica da escola de astrologia “faço como quero”.

Como fazer então ?

Os astrólogos árabes inventaram dezenas de mecanismos para realmente entender as grandes engrenagens da história. Aqui você encontra método, e não gente falando generalidade sobre a passagem de Plutão em Sagitário. Infelizmente o conteúdo é fragmentado e muito está perdido, mas felizmente há muita gente procurando reconstituí-lo.

O Rodolfo já fez uma breve síntese das regras principais para se estabelecer a carta de um país, partindo dos Ingressos Solares de certas datas importantes. Tenho apenas algumas coisas com as quais tenho dúvidas, mas o príncipio está bem estabelecido por ele, os pontos extras que eu gostaria de discutir ficarão para um próximo dia.

Artigos Relacionados

Anúncios