Os senhores do Tempo

Posted on 30 de abril de 2007

2


back_to_the_future_trilogy.jpg

Sorry a todos que acompanham o blog pela demora em postar, mas às vezes o tempo escorre pelas nossas mãos, e os dias voam. Em homenagem a esse grande inimigo, cronos, resolvi colocar um post sobre os senhores do tempo em astrologia, os chronocratores.

O conceito de Senhores do Tempo é muito simples… existem apenas sete planetas tradicionais, e eles dividem o total de sua vida entre si. Algumas partes de sua vida estarão sob o controle de vênus, outras estarão sob o governo de saturno. Durante o seu “reinado” o planeta irá colocar em ênfase os assuntos que rege, assim como seu jeito peculiar de exercer o mandato.

Basta ver por exemplo os Estados Unidos. O país é basicamente o mesmo antes de 2000 e depois, o que mudou foi passar o período de um regente de natureza razoavelmente benéfica e razoável, Bill Clinton, pra um outro de natureza extremista e consideravelmente maléfica. A primeira coisa que se vê é a mudança da pauta. Bill Clinton com todos seus problemas, tinha algumas coisas na pauta como crescimento econômico, pobreza, aquecimento global, etc. A pauta de Bush é colocar educação religiosa obrigatória nas escolas, proibir o casamento gay, combater a evolução, enriquecer os seus amigos da industria de guerra. Em segundo lugar muda a maneira de administrar essa pauta… Bill Cliinto era esperto o suficiente para disfarçar os avanços hegemônicos dos Estados Unidos sob maneiras que o mantinham legítimo. Com Bush tudo tem sido na violência, na grosseria, nepotismo, e muita incompetência administrativa.

O mesmo vale para seus planetas. Um período de cinco anos de sua vida pode ser muito bom para sua carreira, ou muito mal para sua saúde. Depende da natureza e da competência do administrador do período. É uma metáfora extremamente política, e já era assim desde a época dos gregos.

Diferença da visão Astrológica moderna

Os Chronocratores demonstram uma das diferenças mais importantes entre a técnicas de previsão da astrologia moderna e tradicional. Na astrologia moderna se pega uma técnica, digamos progressões secundárias, e se verifica onde dois pontos se encontram. Por exemplo, vemos a data onde o sol progredido encontra a vênus natal. Nesse ponto de encontro prevemos um acontecimento, no caso um casamento.

Por isso podemos dizer que a Astrologia moderna tem uma característica preditiva “pontual”. Ela busca pontos no tempo que tenham uma correlação perfeita entre acontecimento terrestre e astrológico. Um dos problemas é que um acontecimento importante raramente está mostrado nos céus “just in time” ou seja, um casamento ou morte podem estar acontecendo sem que nada mais relevante esteja acontecendo no seu mapa, enquanto configurações grotescas podem estar passando sem que você saia de sua rotina.

Já a astrologia tradicional é mais “intervalista”… ela tenta descobrir a natureza e qualidade de um período de tempo, um intervalo que pode ser grande como anos, ou pequeno como dias, sem se preocupar com a confluência exata de dois ou mais pontos, aspectos, etc. Muitas das técnicas que foram criadas na tradição, como revoluções solares, direções primárias e secundárias, etc, tem uma característica “intervalar”, mas são usadas hoje em dia como se fosse ponteiros de um relógio: quando os dois ponteiros se encontram sai o cuco e grita “cuco ! temos um acontecimento”. Infelizmente nem sempre isso funciona.

Os métodos para achar os Chronocratores

Para lástima do iniciante, existe uma enorme quantidade de chronocratores na astrologia ocidental tradicional. Os gregos aparentemente tinham uns quinze métodos, dois quais sabemos apenas uns poucos ainda. Os védicos, que eu saiba, usam principalmente os Dasas, não sei se eles têm outros métodos. Como escolher o correto ? Infelizmente também não existe isso de “o correto”. Os métodos são usados para fins determinados, e em geral só funcionam quando usados de maneira conjunta, e não sobreposta: não basta somar um com o outro, tem que levar em conta sua interação.

Firdaria

Já tratamos da Firdaria em um artigo mais extenso. A firdaria basicamente é a distribuição dos anos de sua vida para os planetas. São grandes períodos divididos em partes menores através de sub-regentes. Os planetas “trocam” de regência na ordem dos caldeus. Todas as pessoas que nascem durante o dia tem a seguinte ordem: Sol (nascimento) , Vênus, Mercúrio (já pelos vinte e tantos), Lua (trintão), etc. A firdaria das pessoas que nascem durante a noite começa pela Lua, depois Saturno, Júpiter, marte, etc.

Como a firdaria é igual para todas as pessoas, o seu significado é extremamente contextual a carta. Por exemplo, não podemos dizer que a firdaria de Júpiter e vênus será boa porque eles são benéficos… todas as pessoas que nasceram durante o dia, e todas as que nasceram durante a noite, viverão essa firdaria exatamente na mesma idade, e obviamente que os 40 podem ser muito bons para algumas pessoas e horrível para outras. É necessário concentrar-se nos significados do mapa.

Progressão por termos

Existe diversas técnicas que fazem a progressão do ascendente, o seu avance de acordo com algum tipo de relação simbólica com o tempo real. Assim, se você nasceu com o Ascendente em 8 de Leão, depois de uns anos esse ascendente irá para 15, depois 25, depois para Virgem, etc. Na astrologia moderna se procura o encontro desse ascendente progredido com algum outro planeta, ou com o aspecto com outro planeta. Na astrologia tradicional se olhava para a a distribuição dos termos que o ascendente ia caminhando. Os termos são divisões desiguais dos signos entre os planetas (com exceção do sol e lua). Cada planeta que regia um termo é o regente do período, que leva alguns anos; outros planetas que façam aspecto ao ascendente progredido são considerados como sendo sub-regentes pelo período.

Aphesis

Há dois pontos muito importantes do mapa na astrologia grega chamados de Parte da Fortuna, e seu contrário, Parte do Espírito. Um dos métodos para prever as tendências do futuro era deixar que esses pontos se “liberassem” (aphesis) e “caminhassem” pelo mapa. Os movimentos de fortuna falam sobre nossa sorte em geral e o corpo físico. Os movimentos de Espírito tratam de nossas escolhas sobre o que fazer com nossa vida e nossas ações, e estão geralmente ligadas à nossa vida profissional. Os movimentos das partes são desiguais, ou seja, elas podem ficar muitos anos num signo, e poucos anos em um outro.

Profecção

A profeccção é um método para ver o curto prazo (período de um ano) e serve para afinar as previsões de outros sistemas. A profecção faz com que o ascendente caminhe um signo por ano. Outros pontos do mapa, como o MC, a lua e o Sol podem ser profectados, mas se perde um pouco de sentido, e o Ascendente é a parte mais importante indubitavelmente. O planeta que tem mais importância nesse signo profectado (pode ser um planeta no signo ou o planeta que rege o signo) será o senhor do ano, e dará pistas sobre a natureza dos acontecimentos mais importantes do ano.

A “grande semana” do ano 

Me esqueci o nome técnico, mas o princípio básico é que o ano é como uma “grande semana” de 7 dias, cada um regido por um planeta, que controla 52 dias do ano.  O primeiro planeta é o regente do ascendente da Revolução Solar. Os planetas restantes seguem na ordem caldeica. Por exemplo, se o ascendente é em Libra, o regente dos primeiros 52 dias é vênus. Os seguintes 52 dias são controlados pelo próximo planeta na ordem dos caldeus, mercúrio, e assim por diante. Essa técnica ajuda a definir quando os eventos vistos na RS vão se manifestar.

Colocando tudo junto pra funcionar…

A revolução solar e os chronocratores:

Hoje em dia muita gente fala que a Revolução solar deveria ser interpretada de forma independente ao mapa natal. Quando começamos a comparar os chronocratores com a Revolução Solar, como o método foi originalmente concebido, vemos que isso é apenas invencionice moderna. A profecção, usada comparando o mapa natal e a RS, é a técnica que esclarece mais o sentido de um RS.

Curto Prazo e Longo Prazo

Outro exemplo seria a progressão por termos. Se a RS é horrível de doer, mas a progressão por termos é positiva, mesmo que o indivíduo tenha que fazer uma cirurgia, é muito mais provável que seja uma cirurgia do sizo do que uma cardíaca ! Se indica doenças, é mais provável que seja a rinite atacando que câncer ! O longo prazo determina o que pode acontecer no curto prazo !

 Chronocratores e Transitos

Os trânsitos planetários são quase que a única ferramenta da maioria dos “astrólogos” de hoje em dia, mas infelizmente são uma ferramente muito pobre de previsão.  A astrologia védica utiliza muito os trânsitos mas comparados com os seus chronocratores, as Dasas. Se um trânsito não é confirmado por uma Dasa, ele é simplesmente ignorado como não tendo importância maior para o período. Me parece cada vez mais que as Firdaria têm um papel  semelhante: o evento principal do ano em geral acontece quando os planetas da Firdar estão sendo ativados por trânsito, mas preciso de muito mais estudo para verificar se esse indicador é confiável.

Determinação de eventos

Às vezes temos uma série de datas possíveis para um evento. Uma maneira de diminuir essas datas são os chronocratores. Vamos supor que  o evento que buscamos é indicado por marte. Procuraremos as datas que a profecção mensal chega nos signos regidos por marte, ou então que a firdaria do ano troca por uma regida por marte, ou que a “grande semana” do ano vai para os 52 dias regidos por marte, etc. Isso nos ajuda a ter mais certeza das datas adequadas para que a previsão se manifeste.

Artigos Relacionados. 

Anúncios