Cartas diurnas

Posted on 27 de julho de 2008

2


O que são as cartas diurnas ?

As cartas diurnas são um método moderno de se fazer previsões no curto prazo. A carta é feita usando os planetas do dia atual, ajustando para a posição do Sol quando você nasceu. Basicamente a idéia é que, no momento em que você nasceu, o sol estava numa determinada posição em relação ao horizonte, vamos dizer que o sol estava se levantando. Se sacarmos uma carta para o dia de hoje, para o momento em que o sol estiver na mesma posição, então temos uma carta diurna.

Usos e limitações das cartas diurnas

Não são poucos os defensores das cartas diurnas, mas poucos os que expõem o método de maneira clara e honesta. Astrólogos em geral tem a mania de elogiar loucamente métodos que não tem o mínimo embasamento. Temos então que usar os velhos amigos de Culpeper que John Frawley tanto gosta: Dr. Razão e Dr. Experiência.

Primeira limitação: a carta diurna é tirada para a posição dos planetas HOJE: OU seja, não importa se você nasceu em 1938 ou 2001, se em Janeiro ou Outubro, todas as cartas diurnas de todas as pessoas do mundo terão os planetas nas mesmas posições: Marte e Saturno em Virgem, Júpiter em capricórnio, etc. Assim o único fator diferente entre as pessoas são os ângulos da carta, que caminham a uma velocidade média de um grau por dia.

Assim, qualquer fator da carta, como um aspecto, é difícil de ser individualizado… se fosse, todas as pessoas sofreriam eventos significativos ao mesmo tempo ! Usar as interpretações das casas também parece complicado porque ignora todos os significados natais, e, novamente, porque há várias pessoas com a mesma carta diurna !

A experiência com as cartas parece confirmar o que Lee Lehman diz: cartas diurnas servem para fazer a “sintonia fina” e encontrar o dia correto de algo que você já previu com outros métodos.

Assim, em geral, vamos usar apenas as conjunções dos planetas com os ângulos da carta diurna. Mesmo isso às vezes é problemático. Às vezes esse trânsito mostra o dia exato do acontecimento mais importante da temporada… mas na maioria do tempo simplesmente nada acontece durante o trânsito !

Diria que apesar dos defensores mais entusiastas, o método precisa de muito mais pesquisa e refino.

Como calcular a carta diurna:

1 – O método rápido e porco

O método rápido e porco é também o mais simples e o mais utilizado pelos astrólogos. Vamos supor que você nasceu as 8 da manhã, em certo dia, ano, e cidade. Então, para calcular seu mapa diurno para hoje, calculamos para o dia de hoje, e mesma cidade, o mapa de como estava o céu as 8 da manhã. Repito: faça seu mapa para o mesmo horário que você nasceu, mas para a data de hoje. Simples, prático.

Mas sem o mínimo de base astrológica ! Que diabos significa 8 da manhã ? Nada ! É um horário civil, criado por conveniências civis. Por exemplo, o dia começa à meia noite para que haja o mínimo de problemas para a troca de dias. Mas isso não tem nada a ver com a astrologia, não tem base nem simbólica nem astronômica !

Para o leitor menos acostumado com o movimento celeste, pode não estar claro qual o problema, mesmo porque no Brasil temos pouca variação entre os meses do ano. Mas numa latitude mais alta, 8 da manhã pode ser dia em alguns meses do ano, e noite em outros meses ! Para uma técnica que nasceu baseada na posição do sol no nascimento, vemos que é uma falha muito grande.

E mesmo assim um monte de gente jura por esse método como se fosse a Bíblia.

E o que fazer então com coisas como horário de verão ? Ou pior, recolocação. Se nasci às 8 da manhã no Brasil, devo fazer uma carta para as 8 da manhã no Japão, ou para as 8 da noite ?

2 – Método de Sepharial

Apesar do método não ser tradicional, basta você olhar um pouco atrás no tempo para encontrar um pouco mais de consistência. A definição de Sepharial pelo menos é técnica, baseada no movimento celeste, e não baseada no uso convencional do horário civil.

Sepharial recomendava ver a diferença em RA (Ascensão reta) entre o Sol e o MC. Ou, em outra palavras, conte quanto tempo demora para o Sol chegar até o MC. No nosso exemplo de nascimento às 8h da manhã, vamos supor que demore 4h20 até o sol cruzar o MC.

Assim, para fazer a carta diurna, pegue o momento que o sol cruzar o MC e volte 4h 20 no tempo. Em geral vai ser algo perto de 8 da manhã, mas pode haver variações significativas.

No entanto o método de Sepharial também me parece falho… o Sol pode estar na 12a casa no nascimento, na 11 em algumas cartas diurnas, ou até abaixo do horizonte.

3 – Arco Proporcional

A partir de uma discussão com Ed Falis, cheguei à conclusão de que é mais interessante usar um sistema de arco proporcional.

Basicamente: pegue a distância do sol até o MC, como já calculamos, no nosso caso 2h40. Divida esse valor pelo tempo que o Sol demora desde surgir no ascendente até chegar ao MC, vamos supor que seja 4h. Esse é o PPA (arco proporcional)

Agora para calcular a carta diurna, pegue o PPA previamente calculado e repita o cálculo do tempo que o Sol demora desde desde o ascendente até o MC. Vamos supor que agora seja outro mês do ano e o valor seja de 8h. Multiplique um pelo outro. Agora nosso valor de diferença ascensional seria algo como 5h20, a ser contados para trás a partir do MC.

O método parece muito complicado, mas é simples para quem conhece direções primárias. A vantagem desse último método é que se o Sol estava na sua 12a casa mundana quando você nasceu, o arco proporcional garante que ele esteja sempre nessa posição em relação ao horizonte.

Anúncios