Talismãs astrológicos sem astrologia

Posted on 27 de abril de 2012

18


Há dois ramos de arrogância ou preguiça que surgem quando falamos de talismãs astrológicos.

O primeiro é do lado dos astrólogos. Frawley por exemplo crê que a parte da magia é totalmente desprezível já que ele é católico, e acha que o catolicismo está, naturalmente, acima de tudo isso. Já muitos astrólogos que “ouviram falar” na internet, simplesmente chegam a grandes “Conclusões” como a de que o talismã é uma espécie de bateria (pelo menos é a interpretaçao da maioria dos sábios de orkut).

Outro estilo de arrogância é achar que a parte astrológica é a única essencial. Na verdade, a parte cognitiva (astrologia tradicional) exige anos de estudo, mas a parte mágica exige esforço, prática, e o pior de tudo, talento para coisa. Pessoas de pouco talento (como o escriba que vos fala) sofrem com o tema enquanto estudantes de primeira viagem muitas vezes conseguem ótimos resultados na primeira tentativa.

Mas há outro tipo de arrogância vindo das pessoas que tem como interesse básico, ou área primeira de estudo, a magia. Seja os que vieram da área solomônica, cerimonial, wicca, etc, a maioria tem grandes erros em sua concepçao sobre a magia planetária e os fenômenos astrológicos. Muitos só tem como referencia bobagens da astrologia moderna. Outro dia vi um artigo sob as fases da lua tão recheado de bobagem que deixa os cabelos em pé. Claro que a referência é de títulos como “astrologia esotérica”, que importa que Valens já falou sobre as fases da lua há 2 mil anos se podemos pegar algum título que nos diga coisas legais e cabeça como os dias apropriados para enfrentar sua sombra interior ou para integrar nossos preconceitos…

Considerando que a grande maioria dos magos só conhece as horas planetárias (que muitos desprezam porque “não funcionam” – o fato de não usarem outros fatores astrológicos nao tem nenhuma relação com isso) mesmo assim é impressionante a mania de quererem usar astrologia sem usar astrologia!

Vamos usar o exemplo de Lion´s Den. Note por favor, que eu considero MC um mago excepcional, o que deixa muito mais preocupante a situaçao! Pegar um blog de um adolescente satanista na internet não teria graça…

Abaixo a carta do dia escolhido para fazer o talismã de júpiter:

Qualquer astrólogo medianamente competente pode ver que ele usou apenas o dia e a hora de júpiter. Ora, isso significa que há uma postura de que a astrologia NAO é importante para fazer talismãs astrológicos! Nao sei, não conheço, mas acho que não importa.

Como sabemos que ele usou apenas o dia de júpiter (e provavelmente a hora – eu não sei em que cidade ele está). Note que a lua, um dos fatores essenciais em qualquer eletiva, está em capricórnio. Isso é um grande Nao na maioria das escolas de eletiva (com exceção do uso das mansões lunares). Note também que júpiter não tem absolutamente nenhum fator positivo. Nao sofre aspectos positivos de planetas, nao tem dignidade essencial. Na verdade, Júpiter está sob ataque  de um marte em queda. Apesar de Júpiter poder resistir a um marte em queda, o grau de malefício desse marte é tudo menos o que você poderia dizer que foi uma data “Bem escolhida”. Na verdade, qualquer data aleatória provavelmente teria sido melhor. Essa é uma data para se fazer um talismã de Júpiter tao ruim quanto possível.

É claro que eu tenho certeza que o mago, se lesse esse artigo, defenderia que o método dele funciona e que os clientes disseram que houve bom resultado, etc. Mas se é por isso, se ele acredita que se pode fazer um talismã de júpiter sem um bom júpiter, entao nos leva à pergunta: por que fazer um talismã astrológico em primeiro lugar?

Essa abordagem de invocação das forças astrológicas, para trabalharem a seu favor, do mesmo jeito que em certas culturas se chamam aos deuses, exus, etc, sem qualquer atenção ao simbolismo astrológico em si, me parece típica de magia do caos. O problema básico com essa abordagem tem sido que muitas pessoas (e eu citaria muita gente boa como Jason Miller) por não ter boa formaçao astrológica, acha que a invocaçao dos 7 planetas é apenas “mais uma das possibilidades” do arsenal de invocaçoes, ou seja, você pode chamar Ganesha, Papa Legba, ou mercúrio. Um grande erro, vindo da influencia da Magia do Caos, provavelmente. A natureza de mercúrio é fundamentalmente diferente da de GAnesha ou qualquer outro deus, espírito ou energia. Essa análise fica para outro dia, mas meu ponto no momento é que se você acha que Ganesha é a mesma coisa que mercúrio, entao ao invés de fazer um talismã de mercúrio com o pobre em peixes, em queda, retrógrado e em oposição à lua, parece para mim muito mais fácil fazer um talismã para Ganesha!

Há muitas tradiçoes que não usam astrologia, e isso está ok. Mas se você quer usar astrologia, bem, você deveria usar astrologia! Por que fazer as coisas pela metade, quando é tao melhor ou não fazê-las ou fazê-las de maneira completa?

Artigos Relacionados

Anúncios
Posted in: astrology